Corpo de Deus

31 de maio de 2018 (quinta-feira)


Corpo de Deus

Feriado Nacional religioso que é sempre celebrado na segunda Quinta-feira a seguir ao Domingo de Pentecostes (60 dias após a Páscoa). Esta é a razão por este feriado ser sempre celebrado a uma Quinta-feira.

História e curiosidades

A Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo é vulgarmente conhecida por Corpo de Deus. Celebra-se, normalmente, 60 dias depois da Páscoa, na Quinta-feira a seguir ao primeiro Domingo depois do Pentecostes. No entanto, depois de acordo entre o Governo português e a Santa Sé foi estabelecido que seria suprimido, temporariamente, por cinco anos, o feriado correspondente a esta celebração religiosa, ocorrendo por isso, este ano pela terceira vez, ao Domingo, no dia 7 de Junho. Alguns dados históricos sobre a Solenidade do Corpo de Deus, a festa do Corpo e Sangue de Cristo, celebra-se normalmente numa quinta-feira para fazer referência à Quinta-feira Santa, dia da instituição da Eucaristia, dia da entrega de Cristo à humanidade num gesto de amor infinito.

Foi no século XIII que se sentiu fortemente a necessidade de ressaltar esta festa, devido à importância da presença de Cristo em forma de pão e de vinho, forma tão humana, mas ao mesmo tempo tão rica de simbolismo. Foi o Papa Urbano IV quem instituiu a comemoração da festa de Corpus Christi, no ano 1264. No início, esta festa não teve muita repercussão no interior da Igreja. Após a sua instituição o Papa morre. Porém, aos poucos, foi tomando força e, hoje, é celebrada com grande solenidade em todo o mundo. O Sacramento da Eucaristia é levado às ruas como um gesto e expressão de fé e, ao mesmo tempo, como convite à renovação da própria fé. Assim, ao longo dos séculos este dia é festejado na cidade de Lisboa, tornando-se a Procissão do Corpo de Deus a mais antiga e participada de todas as procissões.



É tradição em muitas cidades de Portugal e Brasil (devido à colonização foram levadas muitas tradições para o Brasil) a colocação de tapetes dos mais diversos materiais para a passagem das procissões. Os tapetes, tradicionalmente confeccionados de serragem e sal coloridos, empregam nos dias atuais uma gama de materiais, tais como borra de café, areia, flores, farinhas, dentre outros. O seu comprimento varia de acordo com cada cidade ou paróquia, indo desde poucas centenas de metros até alguns quilômetros. Os tapetes, em geral, ligam duas igrejas, decorando o caminho por onde será transladado o Sacramento. Em algumas localidades, é usual que se exibam panos vermelhos nas janelas das casas por onde o cortejo passará.