Dia da Imaculada Conceição

08 de dezembro de 2019 (domingo)


Imaculada Conceição

Feriado nacional religioso onde se comemora a vida e a virtude de Virgem Maria, mãe de Jesus Cristo, concebida sem marca do pecado original.

A Imaculada Conceição, de acordo com o ensino da Igreja Católica, é a concepção da Santíssima Virgem Maria livre do pecado original. A Igreja Católica ensina que Maria foi concebida por meios biológicos normais no útero de sua mãe, Santa Ana, mas Deus atuou sobre sua alma, mantendo-a "imaculada".

Em Portugal, o culto foi oficializado por D. João IV, primeiro Rei da Dinastia de Bragança, que foi aclamado quando se iniciava a festa de Imaculada Conceição.

História e curiosidades

A festa da Imaculada Conceição, comemorada em 8 de Dezembro, foi definida como uma festa universal em 28 de Fevereiro de 1476 pelo Papa Sisto IV.

Existe um grande patrimônio artístico e cultural sobre a Imaculada, especialmente nos países hispanos, no sul da Itália e nos Estados Unidos, que mostram quão profundamente se repercute na vida cristã a preservação de Maria do pecado original desde a sua concepção.



Em Espanha, sabe-se que, já desde a época dos visigodos e sobretudo durante a Reconquista, os reis se postulavam como defensores da “puríssima concepção de Maria”. O primeiro voto à Imaculada Conceição foi feito em 1466, em Villalpando (Zamora). Os territórios da Coroa espanhola festejavam-na como padroeira desde 1644 e os sacerdotes espanhóis têm, desde 1864, o privilégio pontifício de celebrar esse dia com casula azul, como reconhecimento do papel da Espanha na defesa do dogma.

Em 1497, a Universidade de Paris decretou que ninguém poderia ser admitido na instituição se não defendesse a Imaculada Concepção de Maria, exemplo que foi seguido por outras universidades como a de Coimbra e de Évora. Em 1617, o Papa Paulo V proibiu que se afirmasse que Maria tivesse nascido com o pecado original, e em 1622 Gregório V impôs silêncio absoluto aos que se opunham à doutrina. Foi em 8 de Dezembro de 1661 que Alexandre VII promulgou a Constituição apostólica Sollicitudo omnium Ecclesiarum em que definia o sentido da palavra conceptio, proibindo qualquer discussão sobre o assunto.

A 8 de Dezembro de 1904, em Lisboa, solenemente lançou-se a primeira pedra para um monumento comemorativo do cinquentenário da definição do dogma. Ao ato, a que assistiram as pessoas reais, patriarca e autoridades, estiveram também representadas muitas irmandades de Nossa Senhora da Conceição, de Lisboa e do País, sendo a mais antiga a da atual freguesia dos Anjos, que foi instituída em 1589.

Em Portugal e no Brasil, é tradição montar a árvore de Natal e enfeitar a casa no dia 8 de Dezembro, dia de Nossa Senhora da Conceição.



Entre as igrejas cristãs, apenas a Igreja Católica Romana aceita o dogma da Imaculada Conceição de Maria.

O dogma da Imaculada Conceição não é aceite pelas Igreja Ortodoxas. A Igreja Ortodoxa acredita que Maria foi uma pessoa muito devota a Deus e que levou uma vida santa, como diziam os pais da Igreja, evitando os pecados atuais.

As Igrejas Anglicanas possuem a mesma doutrina das Igrejas Ortodoxas.

A Igreja Luterana e as Igrejas Reformadas também não aceitam esta doutrina católica romana devido a diferentes interpretações do fundamento bíblico.